Isto não é um filme

9 Setembro, 2013 — Deixa um comentário

1471218_705182766160673_1760893042_n

Deitarmo-nos numa cama acabada de fazer é uma das melhores coisas que podemos experienciar. Lençóis impecavelmente lavados, bem passados a ferro, os aromas que ficam agarrados às fibras por causa do sabão, do ar fresco da rua, das mãos que os dobraram.

A roupa lavada à mão tem sempre uma história de aromas por trás.

A Aldeia da Roupa Branca é uma marca que resgata isso mesmo, a história da roupa lavada à mão, das lavadeiras do antigamente, dos perfumes para os ferros de engomar, dos aromas para as gavetas. Um ritual há muito perdido mas que habita o imaginário dos mais românticos. Uma homenagem à tradição Portuguesa da lavagem de roupa à mão, nos rios e nos tanques públicos.

Se ao apreciarmos um bom vinho lhe tomamos o gosto através dos vários aromas que o constituem, a roupa lavada à mão é degustada da mesma forma. Nela encontramos desde o aroma da água onde foi lavada até aos cheiros do bairro no dia em que foi estendida ao sol.

A roupa lavada à mão tem muito que se lhe diga.

(Imagem: Aldeia da Roupa Branca, Texto: Raquel Félix/ Portugalize.Me)

Não há comentários

Sê o primeiros a começar uma conversa

Deixe uma resposta

Text formatting is available via select HTML.

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

*