Compilação dos feitos lusos lá por Róllywood

11 Fevereiro, 2015 — Deixa um comentário

10846434_1007564155925959_7023423339286485984_n

Continuamos por Los Angeles nesta rubrica, até porque estamos no mês com mais prémios de cinema por dia quadrado.

E porque falamos deles, de prémios, fala-se em Diogo Morgado, que ainda anda a recolher méritos pelo papel como Sr. Cristo, em “O Filho de Deus”. O galardão foi o de Melhor Interpretação nos Movieguide Grace Awards, que destacam actores que exemplifiquem a «graça e a misericórdia» do Senhor.

Já agora, quem quer saber como anda a carreira do actor português longe da graça divina, pode sintonizar o canal CW no dia 10 de Abril, quando estreia a nova série de Morgado, “The Messengers”. O actor português interpreta o papel “The Man”, na série (que deve ser uma animação pegada) sobre o eminente Apocalipse.

Depois de Gonçalo Jordão, que foi muralista no “Grand Budapest Hotel” de Wes Anderson, fiquei a saber esta semana que há um português no elenco de “Selma”, um dos 83490 (perdão, 9) filmes nomeados para Melhor Filme nos Óscares. Joseph Oliveira, que nasceu nos Açores e emigrou para os EUA na adolescência, aparece no filme de Ava DuVernay no papel de um Guarda Nacional.

Quem for à página do português no IMDB, pode ver que há muitas produções no seu currículo para este ano. Vendo para baixo, descobrimos participações não creditadas nos filmes também nomeados aos Óscares, “Wolf of Wall Street” (também esteve em “The Departed”, ambos de Martin Scorsese) e “American Hustle”. E em 1975, apareceu (também sem ser creditado) como um dos banhistas do grande “Jaws” de Steven Spielberg.

Chega às salas de cinema portuguesas no dia 12 de Março, o filme “Focus”, que conta com dois temas dos Dead Combo na banda sonora. A saber, ‘Lisboa Mulata’ e ‘Rumbero’.

Este último ponto não tem tanto a ver com pessoas, mas mais com mobiliário. Em particular, o produzido pela marca Boca do Lobo (que faz parte do grupo Menina Design), de Rio Tinto. No filme, o apartamento de Christian Grey, o protagonista ricalhaço e maroto da adaptação para cinema de “50 Shades of Grey”, de E.L. James, conta com mais de 30 peças feitas em Portugal.

A responsável pela empresa disse à Lusa que foram escolhidos pelo seu «design exclusivo, high-end e cosmopolita». Ah, e o filme estreia esta quinta-feira, 12 de Fevereiro.

df1

(Texto: Rita Tristany Barregão para o Portugalize.me/ Imagem 1: Dead Combo; Imagem 2: Boca do Lobo)

Não há comentários

Sê o primeiros a começar uma conversa

Deixe uma resposta

Text formatting is available via select HTML.

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

*