Há uma Lisboa mulata

18 Dezembro, 2016 — Deixa um comentário

Pessoas e mais pessoas. De todos os lados, por todos os lados. Umas andam, outras param, outras apenas olham. Grande parte fotografa. Mais adiante, junto ao cais das colunas, há música. Um aglomerado de gente dança ao som da música Cabo Verdiana da Banda nôs raíz.

Lisboa tem algo de mulato. É coisa sonora, visível e vivida!

Há uma Lisboa mulata que se mostra e se expressa pelas ruas.

Todos ouvem, todos dançam. É impossível resistir-lhe. Mexe para cá. Mexe para lá. Uns mais envergonhados do que outros e outros, nem tanto… mas aquilo sai… o pé a bater de soslaio na calçada portuguesa, a mão a marcar o ritmo, um corpo mais ondulante, uma cabeça a abanar timidamente. A coisa sai, a coisa sai…

A mescla vem da possibilidade de migrarmos, de nos deslocarmos, de nos movimentarmos e podermos levar a riqueza das raízes dos diferentes lugares de origem para outras paragens. Isto torna-nos conhecedores de outras realidade e histórias. Mas haja quem acolha, quem receba, quem compreenda este necessário lugar.

Hoje celebra-se o Dia Internacional do Migrante e com ele, celebremos o que de bom isto possa trazer.

A música é, sem dúvida alguma, uma dessa coisas.

Imagem, vídeo e texto: Raquel Félix – Portugalize.Me

Não há comentários

Sê o primeiros a começar uma conversa

Deixar uma resposta

Text formatting is available via select HTML.

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

*